RETROSPECTIVA: Acidentes trágicos deixaram serra-branquenses de luto em 2017

O ano de 2017 foi marcado por dor e luto de várias famílias serra-branquenses motivados por graves acidentes envolvendo alguns de seus filhos.

A primeira grande tragédia ocorreu no mês de abril quando a jovem Maria Helena Antonino faleceu após um atropelamento a caminho da universidade que estudava, a UEPB de Araruna.

O acidente ocorreu na manhã do dia 06 de abril em Araruna, no Brejo Paraibano. Maria Helena foi atropelada após uma colisão envolvendo uma saveiro e uma moto.

A universitária caminhava para UEPB, em uma rua bem estreita, quando na batida entre os veículos o motoqueiro caiu sob a jovem e ela sofreu uma forte pancada na cabeça.

Maria Helena ainda foi socorrida em estado delicado para o Trauma de João Pessoa, lutou junto com sua família pela vida por três dias, mas no dia 08 sua morte cerebral foi confirmada.

O sepultamento da jovem foi realizado em Serra Branca junto a uma forte comoção e a Prefeitura de Araruna chegou à época a se comprometer em construir uma calçada para evitar acidentes como esse no caminho da universidade.

A via seria chamada Maria Helena para fazer lembrança ao trágico acidente que vitimou a serra-branquense.

Outra tragédia aconteceu no mês de agosto deste ano

Dois acidentes registrados na estrada que interliga os municípios de Serra Branca e Coxixola deixou como vítimas fatais tio e sobrinho. A família Pequeno ficou enlutada.

Inicialmente, um senhor conhecido como João da Várzea Nova voltava para Serra Branca quando se acidentou e foi socorrido pelo Samu.

Ele teve uma fratura grave na cabeça e foi levado imediatamente para Campina Grande com diagnóstico de Traumatismo Crânio Encefálico (TCE).

Seu sobrinho, o alternativo Lázaro, veio a sua procura na mesma estrada e acabou pouco depois do local de seu acidente perdendo o controle e caindo de moto. O fato ocorreu na saída de Serra Branca para Coxixola, mais precisamente na comunidade das Lagoinhas, em uma curva bastante perigosa.

O serraquensense Lázaro Alternativo se chocou com uma cerca de arame farpado e morreu na hora.

Um dia depois, o hospital de Trauma de Campina Grande acabou confirmando a morte do tio de Lázaro, João da Várzea Nova, o que deixou os serra-branquenses numa profunda tristeza pela família.

Em outubro mais um grave acidente foi registrado 

Já em outubro, a BR 412 foi cenário para outro grave acidente, desta vez envolvendo três serra-branquenses e uma cordeirense.

Era noite do dia 16 de outubro, quando uma grave capotagem próximo a Boa Vista deixou duas pessoas mortas, entre elas uma criança de 7 anos de idade.

O acidente ocorreu próximo a entrada do sítio São Joãozinho e as vítimas foram o professor universitário Pedro Germano Antonino e o filho de sua companheira de apenas 7 anos de idade.

A suspeita é de que o acidente foi provocado por uma moto que teria atravessado a pista repentinamente e na tentativa de desviá-la o veículo capotou.

Além do professor Pedro Antonino e do pequeno Artur, estavam a serra-branquense Valéria Cosmo, única sobrevivente do acidente, e a estudante cordeirense Suênia Veríssimo, que apesar de ter sido socorrida ainda com vida veio a óbito no Trauma de Campina Grande.

Suênia pegou uma carona com o professor Pedro Antonino e todos seguiam com destino a cidade de Bananeiras, onde Pedro lecionava.

De Olho no Cariri

Por: KLEBSON WANDERLEY em 2 de janeiro de 2018

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!