Optometrista morto em Campina Grande pode ter sido vítima de execução

Depois de começar a investigar o caso como um suposto latrocínio, roubo seguido de morte, a Polícia Civil da Paraíba abriu uma nova linha de investigação sobre morte do optometrista Moacir Olímpio Datas. Ele foi morto a tiros no Centro de Campina Grande no dia 29 de dezembro de 2017 e agora a Polícia Civil também suspeita que o crime possa ter sido uma execução.

Segundo o delegado Eduardo Almeida, a nova linha começou a ser estudada depois que a Polícia Civil teve acesso novas imagens de vídeo que mostram que o autor do disparo teria agido com a ajuda de outro homem, que deu suporte ao crime com um carro.

De acordo com a Polícia Civil, no novo vídeo, o veículo foi flagrado estacionando na rua Afonso Campos, próximo ao local do crime, de onde o suspeito de atirar na vítima desembarca, momentos antes do crime. Depois o carro sai do local.

O crime ocorreu na rua Maciel Pinheiro, no Centro de Campina Grande. A primeira linha de investigação era voltada para um possível latrocínio, tendo em vista que o autor do disparo anunciou um assalto e atirou depois que a vítima teria reagido. A Polícia Civil agora investiga se o assalto teria sido apenas uma forma de disfarçar o crime de execução.

Depois do crime, o celular da vítima foi encontrado em uma casa no bairro José Pinheiro, em Campina Grande. A Polícia Civil informou que na época que já tinha identificado um suspeito, mas ele ainda não foi preso. O segundo suspeito que apareceu no novo vídeo também está sendo investigado.

Com G1 PB

Por: KLEBSON WANDERLEY em 6 de Janeiro de 2018

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!