Ricardo empossa integrantes do Conselho Estadual da Transparência e Combate à Corrupção

11.12.15 ricardo_palacio_fotos_alberi pontes_24O governador Ricardo Coutinho empossou, nessa sexta-feira (11), os integrantes do Conselho Estadual da Transparência e Combate à Corrupção, em solenidade realizada no Salão Nobre do Palácio da Redenção. Na ocasião, ele disse que a entidade vai funcionar contribuindo com o Estado, a sociedade e o próprio Governo, prevenindo atos que desabonem a conduta dos servidores e agentes públicos dentro do Estado.

Ao empossar os integrantes do conselho, Ricardo lembrou que, quando assumiu o governo, a Paraíba era o 16º Estado no Ranking Nacional dos Portais da Transparência, alcançando hoje a quinta colocação. E enfatizou que sua meta é levar a Paraíba para os três primeiros lugares do Ranking do Ministério Público Federal (MPF).

“A finalidade é dar mais condições à população de acompanhar aquilo que lhe pertence e, ao mesmo tempo, proteger o governante, porque não tenho um olhar sobre toda a máquina administrativa, que é muito grande. Então, quanto mais gente de uma forma positiva for observando e construindo, sem dúvida nenhuma, a cidadania estará completa”, afirmou Ricardo.

Ao explicar a posse dos membros do conselho, Ricardo disse que a entidade vai funcionar contribuindo com o Estado, a sociedade e o próprio Governo, prevenindo atos que desabonem a conduta dos servidores e agentes públicos dentro do Estado, criando, ao mesmo tempo, uma cultura de orientação. “Muitas vezes a fiscalização que é feita no país busca mais a punição ou até mesmo a escandalização, do que propriamente a orientação, que é uma postura de resguardar o interesse dos recursos públicos”, comentou.

Para o governador Ricardo Coutinho, com a criação do Conselho Estadual da Transparência e Combate à Corrupção o Governo do Estado constrói uma cultura de respeito na relação entre agente público e aquilo que pertence a todos representado pelo Estado. “O objetivo é proteger todo mundo, porque a corrupção acontece em todas as esferas e até mesmo numa pequena empresa ou na retirada de um simples documento. Mas é preciso ver que um erro contábil não é um ato de corrupção, não é um crime. É apenas um erro e precisa ser tratado como deve ser. Por isso precisamos de orientação para construirmos essa nova cultura do respeito”, observou.

Exemplo para o Brasil – O procurador geral do Ministério Público da Paraíba, Bertrand Asfora, ressaltou que a criação desse conselho é um chamamento à sociedade para o acompanhamento dos gastos do governo. “É uma iniciativa extremamente importante, democrática – e quem dera se o Brasil seguisse o modelo da Paraíba –, onde todos os órgãos, a população e os trabalhadores vão poder acompanhar os gastos públicos do Governo do Estado. Prá nós do Ministério Público é uma satisfação poder participar desse conselho, que é um processo de aperfeiçoamento da democracia, e quem dera se o Brasil pudesse seguir o exemplo que a Paraíba está dando com a criação desse conselho”, afirmou Asfora.

Para o procurador do Estado, Gilberto Carneiro, a criação do conselho é mais uma ferramenta à disposição da sociedade que em sua essência busca o aperfeiçoamento da gestão pública. “É importante que qualquer tipo de denúncia seja feita, mas que também haja a mudança de cultura em relação à forma de como as pessoas veem a gestão pública. Então, todos têm o compromisso de melhorar e aperfeiçoar o trabalho da gestão. Acredito que o conselho também vem com a característica de orientar e apresentar sugestões do ponto de vista de aperfeiçoamento de qualquer tipo de denúncia que o cidadão queira fazer, desde que tenha elementos pra isso”, ressaltou.

Composição e objetivos – O Conselho é formado por representantes do Poder Executivo, entre eles, da Controladoria Geral do Estado, da Procuradoria Geral do Estado, da Ouvidoria Geral do Estado e das secretarias estaduais da Administração e do Planejamento, Orçamento, Gestão e Finanças, além de um representante do Poder Judiciário, do Poder Legislativo e do Ministério Público Estadual. O órgão também conta ainda com representantes da sociedade civil organizada.

O objetivo do conselho é propor soluções para aprimorar a política de transparência da gestão de recursos públicos e de combate à corrupção no âmbito do serviço púbico estadual, bem como atuar como instância de articulação e mobilização da sociedade civil organizada para o combate à corrupção e à impunidade.

Caberá ao colegiado indicar a presidência do Conselho, que terá 90 dias, após sua instalação, para constituir regimento interno. Poderão ser convidados para participar das reuniões do Conselho, mesmo sem direito a voto, representantes de outros órgãos ou entidades públicas, bem como organizações e pessoas que representem a sociedade civil, sempre que na pauta constarem assuntos de sua área de atuação. O trabalho do Conselho é considerado serviço público relevante, não remunerando seus integrantes.

O Conselho Estadual de Transparência e Combate à Corrupção será composto no ato de sua instalação pelos seguintes representantes:

Poder Executivo do Estado

Titular: Waldir Porfírio da Silva

Suplente: Ednaldo Joaquim da Silva Júnior

 

Controladoria Geral do Estado

Titular: Gilmar Martins de Carvalho Santiago

Suplente: Letácio Tenório Guedes Júnior

 

Secretaria de Estado da Administração

Titular: Livânia Maria da Silva

Suplente:Ricardo Jorge de Farias Aires

 

Procuradoria Geral do Estado

Titular: Gilberto Carneiro da Gama

Suplente: Sebastião Florentino de Lucena

 

Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento, Gestão e Finanças

Titular: Mário Sérgio de Freitas Lins Pedrosa

Suplente: Ricardo Lavor Cavalcanti

 

Ouvidoria Geral do Estado

Titular: Tânia Maria de Oliveira Brito

Suplente: Nilton dos Santos Silva

 

AUTORIDADES PÚBLICAS CONVIDADAS

Poder Legislativo Estadual

Titular: Deputado João Bosco Carneiro Júnior

Suplente: Deputado Anísio Soares Maia

 

Poder Judiciário Estadual

Titular: Aluízio Bezerra Filho (Juiz de Direito)

Suplente: Antonio Carneiro de Paiva (Juiz de Direito

 

Ministério Público do Estado

Titular: Bertrand de Araújo Asfora (Procurador Geral de Justiça)

Suplente: Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega (Promotor de Justiça)

 

CONVIDADOS DA SOCIEDADE CIVIL

 

Seção Paraíba da Ordem dos Advogados do Brasil

Titular: Nildo Moreira Nunes

Suplente: Felipe Solano de Lima Melo

 

Fórum Paraibano de Combate a Corrupção (Focco/PB)

Titular: Gabriel Aragão Wright

Suplente: Eduardo Ferreira Albuquerque

 

Entidades Gerais de Trabalhadores

Titular: Marcos Henrique e Silva (CUT-PB)

Suplente: Ana Cristina Pereira da Silva (CUT-PB)

Normalmente la farmacia puede ser proporcionar a sus clientes tratamientos discretos para diversas enfermedades. Por ejemplo, la crema Temovate es un corticosteroide tópico. Este fármaco funciona deprimiendo la actividad de diversos productos químicos que causan enrojecimiento. Típicamente, tanto hombres como mujeres sufren de disfunciones sexuales. Si usted está preocupado por el trastorno eréctil, probablemente sabe acerca de http://kamagraoraljelly.me/es/100mg.html. Cuando usted compra drogas como Kamagra debe discutirlo con su profesionalismo de la salud acerca de comprar kamagra oral jelly 100mg. Otro punto que vamos a es comprar kamagra 100mg. La disfunción sexual puede ser el primer signo de un problema psicológico pesado. Todo tipo de drogas, desde aquellas que se considerando que “todas naturales” a las que se producen químicamente en un laboratorio, pueden causar algún tipo de efectos secundarios. El terapeuta sexual calificado revisará su información adicional, siempre que los remedios, incluyendo Kamagra, sean satisfactorios para usted.

Por: KLEBSON WANDERLEY em 12 de dezembro de 2015

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!