Vaticano apura casos de pedofilia na igreja católica, diz arcebispo da Paraíba

O Vaticano tem acompanhado as investigações dos casos de denúncias de pedofilia envolvendo padres na Paraíba. Foi o que afirmou o arcebispo metropolitano Dom Manoel Delson, na noite desta segunda-feira (15), em entrevista ao jornalista Heron Cid, no Programa Frente a Frente, na TV Arapuan. O religioso afirmou que já realizou duas viagens a Roma para tratar sobre o assunto.

“Esse processo corre em Roma também. Já estive em Roma por duas vezes falando sobre essa questão na Congregação dos Presbíteros e na Congregação da Doutrina da Fé que trata desses assuntos de casos de pedofilia. Estamos esperando também alguma conclusão a respeito dos processos que correm aqui na Paraíba área civil”, revelou.

Em conversa franca, Dom Manoel Delson disse que não tem sido fácil comandar a igreja católica na região metropolitana após denúncias de casos de pedofilia envolvendo sacerdotes e falou das  medidas duras que tem adotado para combater o problema dentro da instituição religiosa.

“Quando o núncio apostólico anunciou a minha vinda à Paraíba eu estremeci porque sabia da situação e do ambiente. Mas eu sou da opinião de que o homem se mede quando ele é capaz de enfrentar grandes desafios. Vim pra cá sabendo que iria encontrar grandes desafios e também porque os meus colegas bispos me indicaram e acreditaram que eu tinha o perfil e a calma para o momento de turbulência. Eu assumi isso como uma missão da igreja para ajudar a arquidiocese nesse momento”, destacou.

Para Dom Delson, o clima que se criou com as denúncias tem mexido com muito com os ânimos da igreja. Entretanto ele afirma que todas as medidas estão sendo tomadas na apuração dos casos.

“Todo mundo se sentiu um pouco. Somos todos igreja. Quando um membro sofre, todo mundo sofre. Quando um membro erra, é como se toda igreja tivesse errado. Quando acerta é toda igreja que acerta. Então essa comunhão e essa comunidade são muito forte dentro da igreja. Estamos fazendo o que pudemos fazer e tomando as providencias que se pode tomar com muita paciência porque as coisas não se resolvem de um dia para outro e isso vai tomar certo tempo. Os processos continuam, tanto na Justiça como os internos do Tribunal Eclesiástico”, afirmou.

Entre as medidas adotadas, o líder católico disse que a igreja tem afastado os padres envolvidos nas denúncias, aberto processos internos para apurar os casos, encaminhado processos para o Vaticano e buscado o auxílio do Tribunal Eclesiástico e ouvido os citados e envolvidos.

Dom Delson também comentou de uma medida polêmica adotada por ele para que padres evitem estarem sozinhos com crianças. Para ele, houve reação, mas a maioria acatou a decisão.

“Essa medida serve para que sejam conscientes de que essa situação é muito séria hoje. Até para preservar o próprio padre. Um ou outro achou que foi um pouco pesado, mas é normal porque a gente nunca vai agradar 100%, mas, de forma geral, foi muito bem recebido esse documento”, destacou.

Com Roberto Targino – MaisPB

Por: KLEBSON WANDERLEY em 16 de abril de 2019

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!