Treze segura pressão do Campinense e volta a disputar a final após quatro anos

O Treze vai decidir o Campeonato Paraibano com o Botafogo. Depois de vencer o Campinense na primeira partida da semifinal, por 2 a 1, o time do Galo conseguiu segurar a pressão e volta a decidir o título após quatro anos. A primeira partida da final acontecerá no dia 30, às 18h30, em Campina Grande. O jogo da volta deverá definir o campeão estadual no dia 7 de maio, no mesmo horário, no estádio Almeidão, em João Pessoa.

Precisando vencer para chegar à terceira final consecutiva do Campeonato Paraibano, o Campinense tomou a iniciativa logo no início do jogo. No primeiro minuto, os jogadores da Raposa reclamam a existência de pênalti de Ítalo em Ronaldo Alagoano. O árbitro nada marca e manda a partida seguir.

Aos três minutos, o Campinense volta a tentar furar o bloqueio do Galo, numa falta cobrada por Alex Travassos. A bola passou por cima do gol de Diego e não ofereceu perigo ao Treze.

Após um início melhor, o Campinense vê o Treze equilibrando o jogo e também tentando criar oportunidades de gol na partida.

O Treze vai gostando do jogo e chega com facilidade à área do Campinense, a torcida da Raposa inicia algumas vaias ao time.

O jogo segue morno até que aos 22 minutos, Edinho tenta surpreender o goleiro do Campinense, com um forte chute de fora da área. Bem posicionado, o arqueiro da Raposa colocou a bola para escanteio. Após a cobrança, o Campinense realiza um contra-ataque e também consegue um escanteio.

A jogada anima o rubro-negro, que tenta abrir o marcador, mas acaba esbarrando na defesa galista.

Aos 28 minutos, Alex Travassos faz boa jogada e chuta cruzado contra o gol de Diego. O arqueiro do Treze dá rebote, mas Fernando Lopes tira a bola pela linha de fundo e cede novo escanteio para a Raposa.

O Campinense passa a procurar mais o gol, enquanto o Treze aproveita os espaços para jogar no contra-ataque.

Aos 37 minutos, Magno cobra a falta e quase marca para o Campinense. A bola bate caprichosamente no travessão e levanta a torcida da Raposa.

O Campinense segue pressionando no fim do jogo, mas o Treze se segura e não permite que o adversário abra o marcador.

Aos 46 minutos, o árbitro decreta o fim do 1º tempo.

O Campinense começa o 2º tempo com uma mudança. Saiu Augusto para dar lugar a Filipe Ramon.

No primeiro minuto da etapa complementar, Marcelinho Paraíba testa o goleiro da Raposa com um belo chute da entrada da área.

A resposta do Campinense veio logo em seguida com um chute de Fernando Pires de fora da área. O goleiro do Treze estava bem posicionado e afastou o perigo.

Aos 10 minutos, a Raposa tem mais uma chance com um chute de Fernando Pires, de fora da área.

O Treze tenta aproveitar o contra-ataque, mas esbarra na defesa da Raposa.

A equipe do Galo tenta segurar a pressão do Campinense, tocando bola e fazendo o relógio andar mais rápido.

Após o choque entre Jussimar e Patrick, o jogador do Campinense acabou levando a pior e forçando o rubro-negro a mexer mais uma vez na equipe. No lugar de Jussimar entrou Fábio Gama.

Aos 21 minutos, a Raposa tem mais uma boa chance numa cabeceada de Reinaldo Alagoano, que acabou nas mãos do goleiro do Galo.

O Campinense segue pressionando e tem uma falta perigosa para cobrar aos 24 minutos. Travassos vai para a cobrança, mas acaba mandando por cima do gol de Diego.

O Treze tenta surpreender a Raposa no contra-ataque com Marcelinho Paraíba. O atacante é parado por Fernando Pires, que acaba recebendo um cartão amarelo. O jogador Jean Carlo, do Treze, também leva um amarelo por reclamação.

Aos 36 minutos, Filipe Ramon cobra a falta levantando na área do Treze e Negretti tenta tocar a bola com o braço esticado.

Aos 40 minutos, é a vez do Treze levar perigo ao gol do Campinense. Fernando Pires derruba Dico na entrada da área e o Galo tem uma boa chance de abrir o placar com um forte chute de Ferreira, que foi defendido em dois tempos pelo goleiro rubro-negro.

O jogo segue disputado. O Campinense dá o troco, e arranca um suspiro da torcida numa jogada costurado por Fábio Gama, que chutou da entrada da área contra o gol do Treze.

Por conta das paralisações, o árbitro sinalizou mais sete minutos de acréscimos.
Aos 47 minutos, por pouco o Treze não inaugura o placa após Roger Gaúcho achar Dedé, que chuta tirando tinta da trave.

No finzinho da partida, os jogadores trocam empurrões, mas o árbitro manda seguir o jogo.

Aos 52 minutos, o árbitro apita o fim da partida, que garantiu o Treze na final do campeonato contra o Belo.

 

Com Alexandre Freire/Portal Correio

Por: KLEBSON WANDERLEY em 24 de abril de 2017

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *