MAIS ÁGUA: Boqueirão ganha 17 milhões de m³ de água em seis dias

O reservatório Epitácio Pessoa, localizado na cidade de Boqueirão, no Carri da Paraíba, ganhou 17 milhões de metros cúbicos de água (m³) entre os dias 8 e 14 de janeiro de 2020, conforme dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa). O açude abastece Campina Grande e cidades da região.

No dia 8, o reservatório estava com 14,72% do volume total, o equivalente a 70 milhões de metros cúbicos. Após as chuvas nas regiões do Cariri e Sertão do estado, até essa terça-feira (14), o açude chegou a 18,85% do volume total, com 87 milhões de metros cúbicos e uma alta de 4,13 pontos percentuais.

De acordo com o presidente da Aesa, Porfírio Loureiro, apesar dos números surpreenderem, a alta do açude não foi histórica. Os registros estão dentro das perspectivas de chuva esperadas para esta época do ano. “Em 2004, o açude sangrou em 18 dias. Os registros que tivemos neste ano foram considerados normais. O período chuvoso se estende até maio e a partir desta quinta-feira (16), a previsão é de mais chuva para o Cariri, Sertão e Alto Sertão”, explicou o presidente.

RIO SÃO FRANCISCO E BOQUEIRÃO

Ainda de acordo com o presidente da Aesa, as águas da Transposição do Rio São Francisco estão sendo bombeadas normalmente pelo eixo leste, saindo da cidade de Monteiro (PB) e percorrendo dois metros por segundo até alcançar o Açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão. No último dia 6 de janeiro, foi liberada uma quantidade de água maior da Transposição, saindo do açude de Camalaú para Boqueirão.

Entretanto, nem sempre o bombeamento esteve funcionando. Em 2019, dois anos após a inauguração da Transposição, o fluxo pelo eixo leste passou por alguns problemas. Em fevereiro, o bombeamento para Boqueirão foi suspenso duas vezes. Em março, o Ministério Público Federal (MPF) do município de Monteiro buscou solucionar o problema de 61 famílias deslocadas de suas áreas de cultivo que não conseguiam produzir em razão da falta d’água. A solução foi usar água da Cagepa apenas para consumo humano.

Em julho, o MPF constatou falhas na obra entre as cidades de Monteiro (PB) e Sertânia (PE), por causa de trabalhos mal feitos. Em agosto, um vídeo compartilhado pela internet denunciava um suposto vazamento de esgoto para um canal pluvial que corta a cidade de Monteiro e alcança o eixo da transposição. O problema foi confirmado por autoridades locais, que ressaltaram que a situação foi contornada. Só no mês de novembro de 2019 que a água voltou a ser bombeada e seguiu o percurso do eixo leste até Boqueirão.

Já o eixo norte, que deverá levar água para o Sertão da Paraíba, ainda não foi concluído e segue em obras. O trecho tem 260 km e está 97% finalizado. Além da Paraíba, essa parte da obra vai levar água para os estados de Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

Portal Correio

Por: KLEBSON WANDERLEY em 15 de janeiro de 2020

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!