Jefferson Roberto rebate críticas da oposição e os desafia a provar aluguel de caçamba

O prefeito de São José dos Cordeiros, Jefferson Roberto, concedeu entrevista no último sábado na Serra Branca FM e rebateu as críticas de vereadores da oposição afirmando que se tratavam de denúncias vazias e oportunistas. O gestor veio a emissora uma semana após a entrevista dos quatro vereadores de oposição e recebeu a solidariedade de muitos populares, dos secretários, vereadores aliados, do ex-prefeito Fernando Queiroz e da vice-prefeita Lourdes Dantas.

Jefferson disse que discordava de todas as críticas feitas pelos vereadores de oposição e que no geral eles são contraditórios e não entendem o que é gestão pública. “Não adianta vir aqui tentar dar aula de gestão, quando eles não sabem sequer o que é administração. Até pouco tempo, alguns deles estavam me elogiando, sendo até beneficiado por ações do meu governo, de repente eu não presto mais e eles passam a julgar minha gestão por três meses de contenção de verbas. Isso é lamentável e mais ainda reprovável”.

Jefferson rebateu ainda denúncias feitas pelos vereadores a exemplo do aluguel de uma caçamba. Segundo o prefeito, nunca houve caçamba alugada em seu governo e a que existe no município pertence à gestão e está danificada esperando a reposição de peças. “Eu quero desafiar o vereador que denunciou aluguel de caçamba a provar que eu paguei um real sequer por esse suposto veículo. Se for verdade e ele provar, eu renuncio meu mandato. Se for mentira ele assume e renuncia o dele”, arrematou.

Jefferson ainda informou que não há mais carro locado e destinado ao gabinete do prefeito. Ele disse que locou um carro no início do mandato e o destinou ao ex-gestor para que pudesse receber dele uma assistência no início de mandato, mas que já concluiu o contrato de aluguel, mesmo antes do decreto de crise baixado no município.

O prefeito disse que o povo está informado e percebe o comportamento dos líderes políticos. “Há políticos em São José dos Cordeiros que são incoerentes. Não fazem o que falam. E criticam por conveniência. Quando estão em nossa frente elogia nossa ação e por trás critica. Quando estamos bem nos pede auxílio para sua atuação, quando estamos em crise nos detona por não mais servi-los. Estou apenas no primeiro ano de gestão. Se houve falhas eu assumo todas, mas tenham a certeza, estamos superando as dificuldades oriundas da crise e vamos fazer um grande mandato”, pontuou Jefferson.

O prefeito ainda comentou porque perdeu o apoio de dois vereadores de sua base aliada. Jefferson disse que ninguém perde o que nunca teve. Segundo o gestor, o vereador Adiel ficou insatisfeito desde a eleição para a Mesa Diretora da Câmara, antes mesmo de seu mandato começar, pois queria ser eleito presidente da Câmara, mesmo contra a vontade da maioria dos colegas vereadores. “Seu rompimento foi por interesses particulares, nunca por problemas de gestão”, disse.

Já em relação ao vereador Tejo, o prefeito afirmou que o parlamentar nunca segurou uma palavra que disse. “Ele se reunia com a gente e concordava com as decisões colegiadas, mas chegava por trás e falava mal. É um vereador sem palavra e que não sabe a que se propõe”, finalizou o gestor.

Jefferson por fim pediu a todos compreensão e disse que seu mandato não pode ser avaliado por um decreto de 90 dias. Segundo ele, medidas de equilíbrio financeiro já estão sendo tomadas e em breve o município voltará às suas atividades normais. Jefferson disse ainda que estará neste mês de novembro realizando audiências públicas nas comunidades rurais e na sede para discutir e produzir a peça orçamentária de 2018 e já planejar ações e parcerias para o triênio 2018/2020.

Por: KLEBSON WANDERLEY em 30 de outubro de 2017

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!