Empresa de consórcio de motos dá prejuízo de R$ 1,5 milhão a consumidores em três cidades do Cariri

Mais de 100 pessoas teriam sido vítimas de chamada “compra premiada” três municípios da região do Cariri, na Paraíba. As vítimas, dos municípios de Sumé, Congo e Amparo, aderiram a um suposto consórcio irregular oferecido pela empresa Eletropetro Motos Ltda, para compra de motocicletas. O prejuízo aos consumidores, segundo o Ministério Público da Paraíba, chega a R$ 1.564.497,62 milhão.

De acordo com o promotor de Justiça que entrou com a ação de execução, na Vara Única de Sumé, contra a empresa, Bruno Leonardo Lins, a Justiça foi acionada depois que a Eletropetro Motos Ltda firmou um acordo no Ministério Público para ressarcir os consumidores, em um prazo de 180 dias, mas descumpriu o compromisso. A ação pede a reparação dos consumidores e a proibição à empresa de fornecer o produto, que é ilegal, já que não é autorizado.

“Ela fazia os grupos de consórcio e quem era sorteado deixava de pagar as prestações que ainda havia para pagar. É o que eles chamam compra premiada, que na verdade é um consórcio. Mas para se realizar consórcio, tem que se ter autorização do Banco Central, e eles não tinham. Eles mudaram esse nome, colocaram compra premiada, mas na verdade é um consórcio”, explicou o promotor.

O Ministério Público apura a mesma prática da empresa com vítimas de outros dois municípios do Cariri. Nesta quarta-feira, a Promotoria de Sumé realiza audiência para tratar do caso nos municípios de Ouro Velho e Prata. Segundo o promotor Bruno Leonardo Lins, deverá ser apresentado, hoje, o valor devido pela empresa e a quantidade de consumidores prejudicados. O promotor de Justiça acredita que haja consumidores prejudicados, inclusive, em outros estados: Pernambuco e Alagoas.

Se não houver acordo em relação aos consumidores prejudicados em Prata e Ouro Velho, o Ministério Público poderá entrar com outra ação.

De Olho no Cariri

Com Click PB

Por: KLEBSON WANDERLEY em 16 de maio de 2019

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!