Arraial Duduzão resgata tradicional São João de Caraúbas

A Prefeitura Municipal de Caraúbas através da Secretaria do Turismo, Cultura, Desporto e Lazer montou pelo segundo ano consecutivo o Arraial Duduzão, na praça da saudade, com o objetivo de resgatar a memória do São João tradicional realizado no município.

O prefeito Silvano Dudu desde o ano passado lançou a ideia para os que fazem a cultura e o turismo do município para resgatar o São João de antigamente. Na verdade o São João de Caraúbas perdeu espaço para o São Pedro pelo fato do segundo ser o padroeiro do município, afirmou o gestor municipal.

Temos três santos juninos neste mês de Junho, onde o São João é mais celebrado nas cidades do interior, mas não apenas pelo seu caráter religioso, contudo por sua tradição junina. Nesta época as pessoas celebram a festa da fartura e da colheita fruto da boa safra do inverno na região.

“As comidas de milho merecem notoriedade com o preparo de pratos ricos desta culinária importante do nordeste brasileiro. Percebemos no decorrer dos anos que Caraúbas foi perdendo essa identidade com o São João. O Poder Público tem sua parte de contribuição nisso, haja vista, que precisamos manter acessa essa tradição”, afirmou Silvano Dudu.

Desde o último dia 10, dezenas de quadrilhas juninas vem animando as noites do Arraial Duduzão. São quadrilhas estilizadas convidadas de outras cidades, a exemplo, da Tradição Nordestina da cidade de Coxixola e Junina Mandacaru da cidade de Alcantil. Além das quadrilhas convidadas também as quadrilhas das escolas municipais e comunidades rurais se apresentam neste espaço dedicado as resgate da cultura e das tradições juninas.

O Arraial ainda dedica espaço para o forro pé-de-serra onde se apresentam Dominguinhos do Acordeon e a banda Chapéu de Palha. A secretária do turismo e da cultura, Myllena Fernandes, afirmou que a população aprovou mais esse espaço dentro da programação oficial dos festejos juninos, em Caraúbas. Quase todas as noites o espaço se transforma num local de alegria e divertimento. Quando não tem programação com quadrilhas se apresentando, a própria população improvisa uma matuta e se alonga nas coreografias mais tradicionais, afirmou a secretária.

Com Seplacom

Por: KLEBSON WANDERLEY em 26 de junho de 2018

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!