Polícia Civil realizou mais de 100 operações na PB; ações no Cariri são incluídas em balanço de 2018

Pelo menos 117 operações foram comandadas e realizadas pela Polícia Civil da Paraíba, em 2018, de acordo com a Secretaria de Segurança e Defesa Social (Seds). A maioria delas aconteceu nas cidades de Campina Grande e João Pessoa, e combateu crimes como homicídios, tráfico de drogas e roubos de vários tipos, desde veículos a produtos eletrônicos.

De acordo com os dados repassados pela Seds, via Lei de Acesso à Informação, outras operações foram deflagradas pela Polícia Civil no ano de 2018, no entanto, algumas não foram denominadas e, por isso, não incluídas na estatística.

Segundo a 1ª superintendente regional de Polícia Civil, alguns casos, por atingirem uma linha investigativa mais extensa, necessitam que a estrutura de uma operação seja montada para que os fatos possam ser concluídos.

Operações da Polícia Civil em 2018 na Paraíba

Nº de operações:

Janeiro 7
Fevereiro 12
Março 10
Abril 9
Maio 10
Junho 11
Julho 8
Agosto 12
Setembro 15
Outubro 6
Novembro 11
Dezembro 6
Total 117

Ao todo, 52 cidades foram alvos das operações. No topo da tabela está Campina Grande, com pelo menos 40 operações durante os doze meses de 2018, de acordo com a divulgação da Seds. No entanto, segundo o 2º superintendente regional de Polícia Civil, Luciano Soares, o saldo foi ainda mais positivo. No ano, foram 98 operações de repressão qualificada, 297 prisões, 127 armas de fogo apreendidas, 3,5 mil munições apreendidas, aproximadamente 350 dinamites apreendidas e cerca de 250 quilos de drogas apreendidas.

Além disso, segundo Luciano Soares, a “delegacia de homicídios de Campina Grande obteve um percentual de elucidação na ordem de 70%, mantendo uma excelência na investigação nas mortes violentas consumadas no município”.

João Pessoa fica atrás da Rainha da Borborema, mas em número ainda muito inferior, se comparado. Foram, pelo menos, oito operações realizadas na capital. O último trimestre, segundo Roberta Neiva, foi o mais positivo, levando em consideração a área da 1ª Superintendência Regional de Polícia Civil, com “operações de grande porte em Santa Rita, Mamanguape, delegacia de roubos e furtos e delegacia de repressão a entorpecentes”, explicou a delegada.

Algumas operações aconteceram em mais de uma cidade:

Campina Grande: 40

João Pessoa: 8

Solânea: 3

São José dos Cordeiros: 2

Monteiro: 3

Cajazeiras: 2

Itabaiana: 3

Parari: 2

Aroeiras: 3

Gado Bravo: 2

Prata: 2

Imaculada: 2

Pocinhos: 2

Serra Branca: 4

Sapé: 2

Camalaú: 2

Fagundes: 2

Santa Luzia: 4

Belém: 2

Princesa Isabel: 3

Patos: 2

Cidades com uma operação: 30

Principais operações

Segundo a 1ª superintendente regional de Polícia Civil, Roberta Neiva, o momento de maior impacto das operações policiais e quando os trabalhos foram ainda mais intenso, se concentrou no segundo semestre de 2018. Entre elas, estão a Poseidon, Operação Hidra, Operação Chacal, Operação “Θ’hpama” e Operação Overloque, além de outras operações que aconteceram em toda Paraíba. No entanto, uma das que ganhou mais destaque, fez parte do primeiro semestre do ano, e envolveu um grande esquema de corrupção no futebol paraibano.

Operação Cartola

No dia 9 de abril uma operação foi deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba para investigar a manipulação de resultados no futebol profissional na Paraíba. O cumprimento de mandados de busca e apreensão mexeu com as estruturas de muitos clubes de futebol. Cerca de 80 pessoas foram investigadas no esquema pelos crimes de organização criminosa, crimes do estatuto do torcedor e falsidade ideológica.

Operação “Θ’hpama”

A operação aconteceu no dia 14 de agosto de 2018 e prendeu 10 suspeitos de tráfico de drogas, no Sertão da Paraíba e de Pernambuco. A operação denominada Θ’hpama (palavra de origem grega que significa presa ou caça) teve como objetivo reprimir o tráfico de drogas que acontecia na divida entre os estados.

Operação Poseidon

Ao todo, 15 interdições de fábricas de água e oito prisões em flagrante aconteceram entreos dias 6 e 8 de novembro de 2018, durante a Operação Poseidon, em municípios do Agreste, Cariri e Sertão paraibanos. Cerca de 22 fábricas de água adicionada de sais foram fiscalizadas e apenas quatro delas estavam regulares. A ação foi coordenada pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Secretaria da Receita Estadual (SER-PB) e Secretaria de Segurança e Defesa Social.

Operação Hidra

Pelo menos 19 pessoas foram presas no dia 4 de dezembro na Região Metropolitana de João Pessoa em uma megaoperação contra integrantes de facções criminosas em 15 unidades da federação. Batizada de Operação Hidra, na Paraíba a ação foi deflagrada pela Polícia Civil, pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e pela Secretaria de Administração Penitenciária do estado.

Operação Overloque

A Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar, cumpriu 18 mandados de prisão preventiva, no dia 18 de dezembro, na Grande João Pessoa, para desarticular uma organização criminosa que seria responsável pela prática de crimes contra o patrimônio e comércio de armas. As investigações da polícia apontaram a existência de uma organização criminosa traficante. Foram identificadas duas facções entre a organização criminosa. O grupo, segundo a delegada, atuava traficando, com diversas bocas de fumo comandadas por um presidiário.

Operação Chacal

Oito pessoas foram presas no dia 27 de dezembro, na região do Vale do Mamanguape, no Litoral Norte da Paraíba, durante uma operação das Polícias Civil e Militar para desarticular um grupo envolvido em crimes como homicídios, tráfico de drogas e assaltos. Outros seis mandados de prisão foram cumpridos dentro de presídios da Paraíba, como o presídio do Róger, a Penitenciária de Segurança Máxima Romeu Gonçalves de Abrante, o PB1, e na Cadeia Pública de Jacaraú.

Com G1 PB

Por: KLEBSON WANDERLEY em 13 de janeiro de 2019

GOSTOU? CURTA, COMPARTILHE!