Desenvolvimento sim, mas com equilíbrio regional « de olho no cariri

Banner 768x90px


7 de março de 2015

Desenvolvimento sim, mas com equilíbrio regional



AVATAR PERFIL       Apesar do Brasil vivenciar um grave quadro de retração econômica, a “pequenina Paraíba” vem conseguindo se superar e fechou 2014 com o melhor desempenho industrial e no setor de serviços do Nordeste e um dos melhores do país.  Enquanto a produção industrial do Brasil registrou baixa de 3,2%, a indústria da Paraíba cresceu 4,6%, segundo dados da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP).

       O desempenho da Paraíba mereceu destaque da imprensa nacional que credita o avanço a política de desenvolvimento implementada pelo governador Ricardo Coutinho com fortes investimentos em infraestrutura e abastecimento de água e a política fiscal ousada para atração de empresas.  Em apenas quatro anos, já foram implantadas, ou estão em fase de implantação, 218 empresas que geram cerca de R$ 3,3 bilhões em investimentos.

       Os resultados também começam a aparecer em dados como o crescimento em 12% no número de empresas da Paraíba e também do aumento da  massa salarial em 18% em tempos em que o país perde empregos, principalmente no setor industrial com a alta dos juros e a inflação. É claro que diante do atual quadro econômico é necessário cautela e medidas de austeridade, já que, por outro lado, os Estados registram quedas consecutivas no Fundo de Participação dos Estados (FPE) e começam a sentir os efeitos do “freio econômico” no ICMS.

Desenvolvimento Regional

       Diante deste contexto, cabe ao Estado manter o ritmo dos investimentos em grandes obras públicas como estradas, adutoras, habitações e continuar buscando atrair novas empresas com foco na interiorização. E ampliar políticas públicas nas áreas de empreendedorismo, agricultura, pecuária e turismo de forma a estimular o crescimento da base da economia nos municípios.

        Apesar do surgimento de empresas de médio e grande porte em 31 municípios ainda é muito predominante a concentração dos investimentos na grande João Pessoa, Campina Grande, Patos e agora na mata Sul do Estado com a instalação do Parque Industrial de Caaporã a ser inaugurado até abril. É necessário interiorizar o desenvolvimento.

Experiências 

       É preciso o empenho e a criatividade de gestores como a prefeita de Pombal Poliana Dutra (PT) que está propondo a formação de  um conselho com a participação do governo do Estado e prefeitos de 16 municípios com o objetivo de mapear as potencialidades e juntar forças para atrair empresas que gerem receitas e empregos para os sertanejos.

       Ou ações ousadas como a do prefeito Neto Duarte (PMDB), de Sumé,  que em parceria com o governo do Estado, apostou na formação de um pólo de confecções que gera emprego e renda para mais de 100 mulheres caririzeiras. Além de parcerias sólidas como a firmada entre o governo do Estado,  o governo Federal e o SENAC na implantação das escolas técnicas e na qualificação da mão de obra.

Desafio

        Crescer com equilíbrio regional. Este é o desafio do Brasil e também da Paraíba que não se amedronta em “remar contra a maré” e aposta em setores como a construção civil,têxtil, minerais, cimento,energias renováveis, turismo e na criatividade do seu povo para despontar num futuro próximo como a nova “meca econômica” do Nordeste. O caminho é longo diante da defasagem histórica em relação a indústria e os pólos regionais de estados como Bahia, Pernambuco e Ceará. Mas mesmo que existam muitas pedras e obstáculos rumo ao desenvolvimento, é caminhando que se faz o caminho.

Diário de Bordo       

            No início dos anos 1980, o então presidente da República,  General  João Figueiredo, foi convidado para um almoço pelo governador Tarcísio Burity. No meio das formalidades um fato chamou a atenção dos familiares e assessores de Burity quando os chefes de segurança vieram um dia antes do encontro à Granja Santana.  Até ai tudo bem, até quando começaram a bater no piso de taco e retiraram os que estavam fofos com receio de alguma bomba atentasse contra o presidente militar. A história teve como testemunha ocular o ex-deputado estadual, Ramalho Leite. 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cwdeolho


  • Quem você gostaria que fosse o presidente da Câmara de Serra Branca a partir de 2017?

    Loading ... Loading ...


Copiright 2014. todos os direitos reservados

Fale conosco

(83) 9 9996 4948

E-mail: sjklebson@hotmail.com

Rua Manuel Duarte, 30, Centro de Serra Branca-PB